Agência de Publicidade e Marketing 360º

Mini carrinho

Dicas sobre como equilibrar a quantidade de sódio e outros elementos

Um dos poucos alimentos que são liberados de forma quase unânime por médicos e nutricionistas é a água. Bebê-la não tem contraindicação. Mas você já deu uma olhada no rótulo da garrafa de água mineral que o acompanha todos os dias?

Pois muita gente andou olhando e não gostou do que viu. A quantidade de sódio e a variação desse elemento entre uma marca e outra é de causar engasgos. Para tirar a prova, fizemos um teste: consultamos o rótulo de 10 marcas de água mineral. Foi constatado que a quantidade pode variar de 3,086mg/l até 103,86mg/l, o que representa uma diferença de mais de 3.000%.

Apesar de esses números assustarem, nenhuma marca de água mineral está fora dos limites aceitáveis pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que é de 600 mg/l. Ainda assim, os especialistas recomendam atenção na hora de escolher a água que você vai beber.

– A nossa alimentação já tem muito sódio, que consumimos por meio dos produtos industrializados e do tempero que adicionamos, e ainda vamos ingerir mais na água? Ela deveria ser uma fonte de hidratação, e não o contrário.

De uma forma geral, o excesso de sódio na alimentação causa retenção de líquidos, o que leva ao aumento da pressão arterial. Por isso, o alerta serve principalmente para as pessoas que sofrem com hipertensão, problemas cardiovasculares e renais, que são potencializados com o alto consumo desse elemento.

Mas a qualidade da água não depende somente da quantidade de sódio que ela contém. Há diversos outros fatores que devem ser considerados, como o índice de pH. O “potencial hidrogeniônico” é uma escala que mede o nível de acidez da água. A recomendação da American Public Health Association é que o pH varie de 7 a 10, o que caracteriza uma água neutra ou alcalina. Nas marcas pesquisadas por ZH, foi encontrada uma variação grande neste índice: de 5,45 (água ácida) até 9,58 (água alcalina).

– A qualidade da água é determinada pela quantidade e pela qualidade dos minerais que ela contém. O ideal é sempre analisar os elementos de cada água para saber se você está comprando um bom produto.

Para saber qual a melhor escolha, recomenda:

– O sódio deve ser o primeiro fator a ser analisado, mas o ideal é buscar um equilíbrio entre um bom pH, uma quantidade pequena de sódio e bons níveis de outros minerais importantes para a saúde, como o potássio e o magnésio.

pH

O potencial hidrogeniônico recomendado é entre 7 e 10

– Todas as águas têm quantidade de sódio abaixo do limite indicado pela Anvisa, mas especialistas lembram que pessoas hipertensas ou com problemas cardiovasculares e renais devem procurar as de menor teor do componente.

PARA LER O RÓTULO
Quanto menos melhor

– Sódio
– Cloreto
– Vanádio
– Sulfato
– Bário
– Nitrato
– Zinco
– Lítio

Por que tanta diferença no sódio?

De acordo com o professor Luiz Olinto Monteggia, as características das águas minerais são determinadas pelo contato que elas sofrem com as rochas do subsolo, de onde normalmente são captadas. Algumas águas têm um teor um pouco mais alto de sódio naturalmente, mas os índices mais altos, normalmente acima de 20mg/l, costumam ser resultado da adição de sódio à água. Esse processo é feito para equilibrar outros fatores do produto, como sais e pH.

Quanto por dia?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda uma ingestão diária de até 2.000mg de sódio por dia. Se você beber um litro de água mineral com 103,06 mg de sódio, já estará consumindo cerca de 5% da sua cota diária.

E a água da torneira?

As fontes da água da torneira mudam em cada região ou cidade. Para saber a composição química daquela que chega à sua casa, é preciso solicitar a informação para a companhia de saneamento que a fornece na sua cidade. É obrigação dela informar. Toda a água fornecida passa por diversas avaliações microbiológicas que precisam garantir sua qualidade.

OS RÓTULOS DE 10 MARCAS

PUREZA VITAL (mg/l)
Sódio – 3,086
Bicabornato – 137,14
Cálcio – 24,20
Magnésio – 14,22
Cloreto – 9,84
Potássio – 3,08
Nitrato – 2,44
Sulfato – 1,14
Fluoreto – 0,09
pH – 7,44

VERSANT (mg/l)
Sódio – 14,59
Bicabornato – 46,23
Cálcio – 3,03
Magnésio – 2,20
Cloreto – 4,70
Potássio – 1,09
Fluoreto – 0,97
Lítio – 0,011
Vanádio – 0,02
pH – 6,66

FLORESTA (mg/l)
Sódio – 16
Cálcio – 41,06
Magnésio – 1,21
Potássio – 4,00
Sulfato – 7,20
Bicarbonato – 155,73
Fluoreto – 0,12
Nitrato – 5,80
Cloreto – 5,16
pH – 7,0

ÁGUA DA PEDRA (mg/l)
Sódio – 23,02
Cálcio – 25,18
Potássio – 1,09
Fluoreto – 0,11
Bicarbonato – 122,83
Silício – 30,17
Magnésio – 4,44
Cloreto – 8,47
Zinco – 0,02
pH – 7,2

SÃO LOURENÇO (mg/l)
Sódio – 30,17
Bicarbonato – 258,88
Potássio – 30,52
Cálcio – 26,49
Magnésio – 11,21
Sulfato – 2,42
Cloreto – 1,38
Nitrato – 0,91
Bário – 0,35
Fluoreto – 0,11
pH – 5,45

PERRIER (mg/l)
Sódio – 9,5
Bicarbonato – 430
Cálcio – 160
Cloro – 22 / ou cloreto
Potássio – 1
Magnésio – 4,2
Nitrato – 7,8
Sulfato – 33
pH – 5,5

SARANDI (mg/l)
Sódio – 71,00
Bário – 0,01
Cálcio – 2,00
Potássio – 6,00
Carbonato – 21,54
Bicarbonato – 89,01
Fluoreto – 1,19
Cloreto – 0,83
Sulfato – 51,86
pH – 9,35

CRYSTAL (mg/l)
Sódio – 103,60
Bicarbonato – 71,56
Cálcio – 0,308
Cloreto – 1,47
Fluoreto – 1,06
Magnésio – 0,043
Potássio – 0,213
Sódio – 103,60
Vanádio – 0,103
pH – 9,58

PURIS (mg/l)
Sódio – 3,993
Bário – 0,012
Cálcio – 25,140
Magnésio – 7,053
Potássio – 2,392
Nitrito – 0,005
Nitrato – 0,090
Fluoreto – 0,070
Cloreto – 0,080
Fosfato – 0,200
Bicarbonato – 124,41
pH – 6,98

CHARRUA (mg/l)
Sódio – 20,90
Cálcio – 9,63
Magnésio – 4,65
Potássio – 3,27
Sulfato – 2,3
Bicarbonato – 37,73
Fluoreto – 0,39
Nitrato – 34,10
Cloreto – 21,86
Silício – 16,14
pH – 5,83

Observação: algumas marcas podem apresentar uma quantidade de sódio (entre outros componentes) diferente para cada Estado onde são comercializadas. A explicação é porque as águas podem ser de fontes diferentes.

Aprenda como investir em ações passo a passo

Como investir em ações na bolsa de valores em 10 passos simples
Como investir em ações na bolsa de valores em 10 passos simples

Saber como investir em ações na Bolsa pode parecer complicado à princípio. Neste guia você entenderá, de forma prática e objetiva, como ganhar dinheiro na Bolsa de Valores e alcançar o sucesso dos seus investimentos.

Para investir na Bolsa de Valores você precisa:

  1. Escolher uma boa corretora de valores
  2. Abrir uma conta de investimento
  3. Transferir o dinheiro
  4. Definir seus objetivos
  5. Traçar seu plano de investimento
  6. Escolher as ações
  7. Acessar o Home Broker
  8. Enviar sua ordem de compra
  9. Acompanhar a valorização
  10. Realizar os lucros

Para investir em ações na Bolsa de Valores você precisa abrir conta em uma corretora e transferir o dinheiro. Então, basta comprar as ações escolhidas através do Home Broker. Quando as ações se valorizarem, você vende e recebe os lucros.

O risco nesse tipo de investimento é que não ocorra o que você esperava e a ação se desvalorize. Mas fique tranquilo, pois existem diversas estratégias para minimizar este risco. Você também pode contar com a ajuda de analistas experientes no mercado, orientando como escolher as melhores oportunidades e como comprar ações e vendê-las na hora certa.

 

O principal custo no investimento em ações é a taxa de corretagem, que você paga diretamente para a corretora. Este valor é pago cada vez que você compra ou vende uma ação.

 

Embora seja um passo a passo bem simples para investir em ações, você precisa tomar algumas decisões e saber o momento certo de agir. Mas sabia que você não precisa fazer isso sozinho?

A equipe de analistas acompanha o mercado em tempo integral, atenta a qualquer oportunidade. Portanto, eles têm completo domínio sobre o momento exato de comprar e vender cada ação. E, para facilitar a sua vida e te colocar ao lado da maior probabilidade, eles te enviam essas recomendações em tempo real.

 

É isso mesmo! No momento em que surgir uma boa oportunidade no mercado, um analista te manda uma recomendação para comprar. Quando for a hora de encerrar a operação, ele te envia uma recomendação para vender.

 

Capítulo 1

O que são ações

Uma empresa é formada por um conjunto de ações. Sendo assim, cada ação é um pedaço dela. Quando você compra uma ou mais ações você se torna sócio daquela empresa, tendo direito a receber parte de seus lucros e, algumas vezes, votar em suas assembleias.

Capítulo 2

O que é a Bolsa de Valores

A Bolsa de Valores é o ambiente onde acontece essa troca de ações. Sua função é garantir que as negociações sejam realizadas de uma forma segura, eficiente e justa, e que você receba as ações quando comprar e o dinheiro quando vender. Ela também tem a função de guardar as suas ações em segurança.

A Bolsa de Valores do Brasil é a BM&F Bovespa e você pode pensar nela como aquela cena famosa de gritaria, mas isso não existe mais. Hoje em dia, as negociações são feitas de forma 100% eletrônica e automática.

O início dessa negociação é o IPO, que é a Oferta Pública Inicial. O IPO é quando uma empresa oferece suas ações pela primeira vez na Bolsa, em troca de capital para continuar crescendo. A partir daí temos duas situações:

  • Mercado Primário: É quando o investidor compra ações diretamente das empresas, portanto as ações vão para o investidor e quem recebe o dinheiro é a própria empresa.
  • Mercado Secundário: É quando as ações passam a ser negociadas entre os investidores e você compra ações de outro investidor. Neste caso, o dinheiro não vai mais para a empresa.

 

É no mercado secundário que acontece a maioria das negociações. Por isso, você precisa entender o mercado para saber como investir na Bolsa de Valores de uma forma segura e rentável.

 

Saber como comprar ações com bom potencial de retorno pode parecer complicado, mas não se preocupe, existem diversas estratégias pra isso e você não precisa tomar todas as decisões sozinho.

Como investir na Bolsa de Valores

A  solução completa que vai te ajudar  a entender como ganhar dinheiro na Bolsa de uma forma segura. Através dela você poderá aprender tudo sobre a Bolsa de Valores e terá uma equipe experiente de analistas, que acompanham o mercado diariamente, prontos para te dar a melhor orientação quanto aos seus investimentos.

Além de tirar qualquer dúvida que você tiver, eles irão te colocar à frente na corrida pelos bons resultados, identificando as melhores oportunidades da Bolsa e recomendando a hora certa de comprar e vender cada ação.

Dessa forma você não precisa se preocupar em monitorar o mercado o tempo todo, porque nós fazemos isso pra você!

Capítulo 3

Vantagens de aprender como investir na Bolsa de Valores

Não é difícil perceber como investir em ações na Bolsa de Valores oferece o maior potencial de retorno do mercado. E embora investir na Bolsa de Valores ainda não faça parte da cultura do brasileiro, o perfil dos investidores está mudando.

 

A quantidade de investidores na BM&F Bovespa, em 2002 era de 85.249 pessoas. Em 2016, já eram quase 560.000 investidores na Bolsa brasileira.

 

E a razão disso é clara: A Bolsa de Valores foi o melhor investimento de 2016. Em vista da inflação e comparado com outros investimentos, o Ibovespa teve uma rentabilidade de mais de 25% superior ao melhor título de renda fixa. E o mais importante: rentabilidade de mais de 32% acima da inflação.